SIGA:
Busca:

SAÚDE MENTAL DO IDOSO

A expectativa de vida da população brasileira é cada vez maior e, com isso, se torna necessário criar condições para a transformação do  perfil do idoso e o papel que este desempenha no âmbito social e familiar. Alcançar uma nova etapa do processo de envelhecimento é importante, principalmente, diante da forma como se enfrenta este ciclo da vida, pois entrar na terceira idade com saúde e qualidade de vida se torna primordial nos dias de hoje.

A saúde psicológica do idoso é fator determinante para que desenvolva uma vida de qualidade. À medida que envelhecemos, estamos sujeitos ao surgimento de algumas disfunções mentais como alterações na memória e outros transtornos, aumentando assim, o risco de entramos em um estado de vulnerabilidade maior, podendo desenvolver um quadro depressivo, caracterizado por sintomas muito comuns, como:
  • Pensamentos fixos sobre a morte;
  • Dificuldade de concentração
  • Perda de interesse ou prazer nas atividades diárias
  • Diminuição da concentração;
  • Alteração do humor;
  • Diminuição do apetite;
  • Perda ou aumento do peso;
  • Fadiga;
  • Falta ou excesso de sono;
Esses, entre outros sintomas, podem surgir por períodos que transformam a vida do idoso e de todos de sua rede social, tornando-se grande fonte de angústia em seu sistema familiar.

Nesta população, a depressão pode ter inicio devido a vários fatores que envolvem desde mudanças sociais e econômicas, perdas de entes, ou por conta da inatividade e da dependência que o idoso estabelece em relação às atividades da vida diária.
Os sintomas depressivos nos pacientes idosos podem não ser fáceis de identificar. Isto porque estes sintomas freqüentemente são ignorados ou confundidos com outras doenças comuns na terceira idade.É preciso que familiares estejam atentos aos primeiros sintomas, encaminhando o idoso a um especialista. A psicoterapia é um tratamento eficaz combinados com os cuidados clínicos  prescritos por um psiquiatra ou por um geriatra. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, é preciso destacar que a depressão não é uma parte normal do envelhecimento, nem é mais difícil de tratar em pessoas idosas.

A melhor conduta, quando lidamos com pacientes idosos, é fazer com que ele mantenha-se ativo e sentindo-se útil, buscando desenvolver um ambiente que regule e fortaleça atividades planejadas visando o seu prazer e fortaleçam a sua razão para viver. Em alguns casos, aliviar a solidão através de saídas em grupo, trabalhos voluntários ou ter visitantes regulares pode ajudar no tratamento, bem como atividades físicas regulares e uma dieta saudável.

Visto que um idoso que se mantém ativo preserva sua capacidade de atenção e facilita o tratamento de seus sintomas.

Fique atento!!!

_______________________
Por: Rafael Dias.
Psicólogo, graduado pela FEAD-MG, atende na Maioridade desde 2008.

Comentários