SIGA:
Busca:

Arquivo:

Crie uma rotina para o seu idoso

Vamos lembrar que estamos lidando com pessoas que já foram independentes. Em geral, cuidaram de si mesmas, criaram filhos ou auxiliaram a criação de sobrinhos. Essas pessoas estão passando por um momento onde começam a perder a liberdade e a independência que conquistaram ao longo da vida. Procure estabelecer uma rotina com o seu idoso, incluindo atividades que aconteçam sempre no mesmo dia e horário, para que ele possa se antecipar e se organizar mentalmente para tal atividade. A rotina traz segurança, um domínio da própria vida, uma sensação de autonomia: “sei o que posso fazer e quando devo fazer”.


Hidrate seu idoso sempre

Lembre-se: água é o melhor remédio. Com o passar dos anos, vamos reduzindo a quantidade de água em nosso organismo e, por isso, é muito importante lembrar os idosos de tomar pelo menos dois litros de líquido durante o dia, principalmente água. Ofereça com frequência. Eles vão aceitar um pouco de cada vez. Para o seu controle, separe a quantidade de água em um recipiente, e ao final do dia saberá quanto foi ingerido. Pessoas idosas desidratam rapidamente e a desidratação pode causar confusão mental. Fique atento.


O que fazer quando meu idoso fica nervoso e agitado?

Com a nossa experiência, temos percebido, que a agitação repentina que acomete idosos em processo demencial, em geral, está ligada às necessidades básicas fisiológicas não compreendidas e expressas pelo idoso. Leve seu idoso ao banheiro, ofereça um alimento, hidrate-o. Cheque se eles está com frio ou calor. Tente perceber qual necessidade dele está causando desconforto. Não pergunte, apenas perceba e resolva a questão. Lembre-se: ele não sabe explicar.


Dica: Mantenha o seu idoso sempre ativo

A melhor conduta, quando lidamos com pacientes idosos, é fazer com que ele mantenha-se ativo e sentindo-se útil, buscando desenvolver um ambiente que regule e fortaleça atividades planejadas visando o seu prazer e fortaleçam a sua razão para viver. Em alguns casos, aliviar a solidão através de saídas em grupo, trabalhos voluntários ou ter visitantes regulares pode ajudar no tratamento, bem como atividades físicas regulares e uma dieta saudável.Manter o seu idoso ativo preserva a sua capacidade de atenção e facilita o tratamento de seus sintomas. Fique atento!!!

Dicas de segurança para o seu idoso

Sem sombra de dúvidas, um dos maiores perigosos que os idosos enfrentam dentro de suas próprias casas são as quedas. Pequenos obstáculos que eles encontram no meio do caminho são as causas desse tipo de acidente, como um tapete, um objeto jogado no chão, um móvel que deixa pouco espaço para a passagem e até um piso molhado sem um aviso. Por conta disso, algumas adaptações nos cômodos da residência são essenciais. Algumas atitudes simples podem ser salvadoras de vidas.

Para o banheiro: o chão do banheiro, por ser úmido, é o maior vilão para a queda dos idosos. Para prevenir o acidente, a alternativa mais correta é usar piso antiderrapante em todo o banheiro. Para a área do chuveiro, a dica é usar tapetes de borrachas com ventosas, que fixam no chão. Barras laterais de apoio fixadas nas paredes também ajudam a evitar quedas.

Na sala da casa, o maior vilão é o tapete. A dica é simples, abra mão desse acessório! Evite também objetos de decoração que possam facilmente cair e machucar alguém. Uma casa com idosos se assemelha a uma casa com crianças, todo o cuidado é pouco. Prefira um sofá confortável, com almofadas para encostar as costas, e mantenha o controle remoto da TV em um lugar de fácil acesso.  Na sala de jantar, prefira as mesas com pontas arredondas e não muito altas.

Para os corredores, também é dispensável o uso de tapetes. O ideal é manter um ambiente sempre muito bem iluminado e livre de obstáculos, como aparadores. Para economizar energia, usar sensores de presença pode ser uma boa alternativa. Caso você more em uma casa com escadas, o cuidado com o corrimão é essencial – eles devem estar presentes nos dois lados da escada. Certifique-se de que eles estão firmes e em uma altura agradável ao idoso. Uma sinalização de cor contrastante nos degraus também é uma boa alternativa de segurança.

Nos quartos, a cama não deve ser nem muito alta, nem muito baixa. A dica para a altura ideal é observar o idoso quando o mesmo se levanta da cama. Ao ficar sentado, os pés devem alcançar facilmente o chão. Uma poltrona do lado da cama também é importante, pois irá ajudar o idoso a causar os sapatos, ou mesmo se trocar. O interruptor também deve estar ao alcance quando ele estiver deitado na cama.

Por último, mas não menos importante, a cozinha! As barras de apoio usadas no banheiro também são grandes aliadas, bem como o piso antiderrapante. Os armários não devem estar muito altos e os objetos mais usados devem estar ao alcance.

Tomando os cuidados necessários, a convivência com as pessoas de maior idade pode ser tranquila e segura!


Dicas para uma boa memória

Para não ter problemas de memória quando mais velho(a), segue algumas dicas para que possa exercitá-la e torná-la cada vez mais ativa:

1. Escreva
Escrever é uma forma de lembrar e ajuda a memorizar as coisas. Vale lembrar que isso é diferente de decorar, já que a “decoreba” vem de um estímulo verbal, enquanto a escrita aciona a área responsável pela visão.

2. Visualize mentalmente
Visualizar é uma boa dica, pois quando o ser humano quer guardar algo, faz uma espécie de foto. Ao memorizar, o nosso cérebro utiliza uma série de estímulos, entre eles os visuais. É feito um registro fotográfico das coisas: ver as coisas e pessoas na sua cabeça pode ajudar a lembrar delas. A dica pode ser aproveitada para compras do supermercado, por exemplo: procure “enxergar”, antes mesmo de sair de casa, os alimentos e produtos onde eles ficam localizados.

3. Faça associações
Assimile e armazene informações relacionando-as com imagens ou outros estímulos. Esse é um modo de utilizar outros “canais” para acessar um dado ou fato. Vale algo visual, sonoro, olfativo, etc. Isso estimula a imaginação e ajuda o cérebro a memorizar mais informações. Alguns exemplos: associe a letra inicial do nome de uma pessoa com a letra inicial de outro objeto (Maria – maçã); deixe objetos em locais estratégicos como lembretes; lembre de endereços por meio de imagens de locais próximos.

4. Repita
Ao repetir uma informação, ela é processada novamente pelo cérebro. Quanto mais um dado é repetido, mais o indivíduo consegue decorá-lo e registrá-lo na memória. Portanto: repita. Entendeu? Repita.

5. Adote o calendário
Pode não parecer, mas o calendário é um excelente ajudante da memória. As informações são melhor organizadas pelo cérebro com os padrões de dias e semanas. Se puder anotar lembretes logo abaixo de cada dia, será ainda mais eficiente.

Pronto. Agora coloque em prática antes que você esqueça.


Ele está me acusando de té-lo roubado.

Trata-se  de uma alteração no comportamento, conhecida como “Delírio”. É a falsa crença que o idoso apresenta de estar sendo roubado, perseguido por pessoas estranhas ou membros da própria família. . Acredita que não está em sua casa e freqüentemente pede para ir embora, desconhece as pessoas que com ele convive dizendo que há estranhos em casa, etc.

É extremamente importante que o cuidador tenha consciência de que o paciente não sabe o que está fazendo. Agir com calma, paciência e carinho diante de delírios:

- Tranqüilize-o caminhando pela casa para mostrar-Ihe que não há ninguém estranho.

- Mantenha objetos familiares a ele espalhados pela casa, para que dessa forma ele não se sinta em ambiente estranho.

- Não responda às acusações, lembre-se, ele não sabe o que faz.

- Se ele não confia mais em quem sempre administrou suas economias, não se magoe, entregue esta função a outra pessoa de confiança.

- Quando ele solicita a todo momento que quer ir embora para casa, leve-o a dar uma volta e retorne dizendo: “Pronto! Chegamos em casa”. Este é um artifício bastante eficaz. No entanto, saia de casa acompanhado por mais uma pessoa, no momento em que ele estiver calmo.

- É muito comum que ao desconhecer um rosto conhecido e amigo, ele o confunda com um agressor de um assalto que nunca existiu. Entenda que este é um delírio e que por mais que ele o ofenda você deve tentar acalmá-lo com carinho. O que para você é um delírio, para ele é uma realidade.

Enfim: use e abuse do toque suave, do abraço e dê todo o amor e respeito que o paciente precisa e merece. As situações motivadas pelo delírio devem ser tratadas com delicadeza e seriedade.


Coloque seu idoso pra dançar

Dançar faz bem para qualquer pessoa. Mas para o idoso os benefícios são grandes:

- aumento da capacidade respiratória;
- melhoria do funcionamento do coração;
- liberação de hormônios da alegria e da satisfação;
- estímulo da flexibilidade do corpo;
- fortalecimento dos músculos;
- desenvolvimento do equilíbrio;
- retomada de funções cerebrais;
- incitação da memória;
- diminuição de problemas relacionados ao sono;
- prevenção da depressão.

Por isso, coloque seu idoso pra dançar. Ele vai adorar.

 

 


Ele esta vendo coisas, o que eu faço?

Algumas pessoas podem apresentar alucinações visuais ou auditivas, quando apresentam a falsa impressão – sem que haja um estímulo externo – de estar vendo ou ouvindo coisas que outras pessoas não vêem ou ouvem, respectivamente. Essa alteração de comportamento provoca grande transtorno no seio familiar, especialmente porque, a maioria das pessoas não estão preparadas para administrar bem esta situação.

É uma situação muito especial e requer calma e paciência para trazer o paciente de volta à realidade, sem grandes traumas. São várias as causas que geram crises de alucinação e o paciente deve passar por uma avaliação médica para determiná-las com segurança.

É preciso estar atento à presença de doenças do sistema urinário, infecções, dependência de álcool, reações adversas às medicações utilizadas, desidratação, dores severas e presença de fecaloma (fezes em consistência de pedra).

Atenção também com as reações colaterais dos medicamentos utilizados pelo paciente (efeito que ocorre simultaneamente ao desejado, nem sempre confortável para o paciente). Em presença de qualquer reação adversa (efeito indesejado e não esperado apresentado pelo paciente), como mudanças comportamentais, tremores etc. o médico deve ser avisado imediatamente.

Com o avançar da idade, a diminuição das acuidades visual e auditiva pode ser um fator desencadeante de alucinação. É importante que o paciente visite regularmente seu médico para avaliação dessas funções e possível encaminhamento à especialistas em oftalmologia e fonoaudiologia.

Baixo, algumas outras dicas:

- Não se deve discutir com o paciente aquilo que ele diz ver ou ouvir, tampouco entrar na alucinação concordando com aquilo que ele vê ou ouve. Frases como: “sei que você viu, mas eu não vi”, costumam acalmar e transmitem confiança.

- Tente conduzir o paciente para outro lugar da casa, convidando-o a passar por áreas mais claras, quando a alucinação acontece.

- Busque atividades interessantes que o agradem e distraiam, observe fotos de paisagens bonitas, álbuns de família. Estes são alguns exemplos que ajudam a reduzir alucinações.

- Tente trabalhar sempre na tentativa de trazer o paciente à realidade. Observe quais ruídos, objetos etc. são responsáveis pela alucinação e providencie para que sejam removidos.

- Cortinas, papéis de parede ou louças estampadas costumam gerar crises, nesse caso, é conveniente substituí-los por padronagens lisas e claras.

- Sombras na janela, podem ser provocadas por vegetação (folhas de árvores que balançam ao vento), e neste caso, devem ser podadas.

- Evite espelhos. Em algum momento o idoso pode desencadear uma crise alucinatória, quando, por exemplo, o paciente perder a capacidade de reconhecer sua própria imagem refletida. Cobri-los ou removê-los é o ideal.

- Saiba respeitar uma crise de alucinação, que para o paciente é bastante real, com palavras calmas, tom de voz suave e o toque carinhoso, traga-o de volta à realidade, transmitindo-Ihe confiança.

Busque sempre um médico. Um acompanhamento mais próximo nestes casos é primordial.


Meu idoso engasgou. E agora?

Seu idosos está com alguma obstrução no nariz, na boa? Não se desespere. Conheça como aplicar a Manobra de Heimlich.

alimentacao1

 

Em seguida, chame um médico.

12345