SIGA:
Busca:

Arquivo:

Dicas para cuidar de um idoso acamado.

Para quem tem um idoso acamado em casa, aqui está um vídeo com dicas preciosas. É longo, mas vale a pena assistir até o fim.

 

Material produzido pelo Movimento Idosos Solidários (MIS).


30 dicas para alcançar a longevidade

Se houvesse uma receita que garantisse muitos anos de vida, com certeza a média de idade final do ser humano já teria passado dos cem anos fácil, fácil. Mas algumas atitudes podem te ajudar a ter uma vida mais saudável e longa. Abaixo algumas dicas preciosas.

1. CASE-SE. Segundo estudo publicado no Health Psychology Journal, dos Estados Unidos, as pessoas que se mantêm em longas e bem-sucedidas uniões têm uma expectativa de vida maior em comparação àquelas que se casam novamente ou terminam a vida divorciadas (desde que estejam juntas por amor e não por aparência, conveniência ou obrigação social).

2. EXPRESSE SUAS EMOÇÕES. De acordo com o Journal of Clinical Psychology, da Inglaterra, aqueles que manifestam suas emoções por meio de alguma atividade artística, como cantar, escrever e pintar, são mais saudáveis do que as pessoas que não o fazem.

3. TENHA HORÁRIO. Evite a prática de exercícios entre as 11 da manhã e a 1 da tarde, principalmente em lugares reconhecidamente poluídos. É quando a produção de adrenalina atinge seu pico. O sangue fica mais grosso do que o normal, a pressão arterial sobe e o batimento cardíaco se eleva. Durante essas duas horas, é maior a probabilidade de uma placa de gordura se romper num vaso, o que pode provocar derrame cerebral ou infarto no coração.

4 SEJA SOLIDÁRIO. Segundo estudo publicado na revista Psychology Science, dar apoio físico ou emocional a outras pessoas reduz em até 60% o risco de morte prematura no idoso.

5. PREFIRA AS COMÉDIAS. O riso espontâneo promove a dilatação dos vasos e melhora o fluxo sanguíneo. Também reduz os níveis de adrenalina e cortisol no sangue e aumenta a liberação de endorfinas, hormônios ligados às sensações de bem-estar e prazer. Quer mais? Ainda emagrece. Estudos da Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos, concluíram que dar boas risadas por um período de dez a quinze minutos faz uma pessoa queimar, em média, 50 calorias.

6. USE O FIO DENTAL. De acordo com pesquisadores da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, a inflamação bacteriana da gengiva, causada pelo acúmulo de resíduos alimentares entre os dentes, aumenta em 72% o risco de doença cardiovascular.

7. IMITE OS BRITÂNICOS. Ser pontual é bom, mas beber chá é ainda melhor. De acordo com o jornal Phytotherapy Research, o hábito cultivado pelos ingleses pode ajudar no combate à doença de Alzheimer. Estudos indicam também que o consumo de chá reduz os riscos de câncer. O chá verde é o que promete maiores benefícios.

8. LARGUE O CIGARRO. Fumantes regulares vivem, em média, dez anos menos do que um não-fumante. Cerca de 90% dos casos de câncer nos pulmões, a neoplasia que mais mata no Brasil, está relacionada ao tabagismo.

9. TENHA FÉ (Crer com embasamento e não por fé cega). Segundo o International Journal of Psychiatry and Medicine, ter uma crença forte em algo ajuda a combater o stress e problemas emocionais.

10. BEBA COM MODERAÇÃO. Estudos mostram que o consumo diário de até duas taças de vinho deve fazer parte da receita para uma vida longa. Até a cerveja, quando consumida moderadamente, pode trazer benefícios à saúde, apontam pesquisas recentes.

11. COMA MENOS. Nos Estados Unidos, um estudo comparou cinquentões que viviam de dieta com outros que consumiam, em média, 2 000 calorias por dia. A conclusão foi que o primeiro grupo teve uma expectativa de vida cerca de 30% maior, além de aparentar ser mais jovem do que os congêneres da mesma idade.

12. MORE PERTO DE UM PARQUE. Um estudo realizado por pesquisadores japoneses concluiu que a expectativa de vida dos idosos que moram próximo a áreas verdes é maior do que a daqueles que vivem cercados de arranha-céus.

 

13. VÁ DE VERDES. Vegetais verde-escuros, como espinafre, rúcula e brócolis, são ricas em ácido fólico, substâncias que ajuda a manter a integridade do DNA.

14. MANTENHA A MENTE ATIVA . Pesquisas mostram que a doença de Alzheimer tem maior incidência entre as pessoas com baixo nível de instrução. Estudo publicado no New England Journal of Medicine relaciona a leitura, os jogos de cartas e de tabuleiro e as palavras cruzadas com a redução do risco de demência em pessoas com mais de 75 anos.

15. TOME VITAMINAS. Cápsulas de vitamina C são as mais indicadas. Seu consumo ajuda a prevenir a degeneração macular, que afeta 3 milhões de brasileiros e é a maior causa de cegueira em pessoas com mais de 50 anos. Consulte seu médico sobre a dosagem.

16. CURTA O CHOCOLATE. Em pequenas quantidades, ele pode ser benéfico à saúde. Segundo estudo do King’s College, de Londres, a quantidade de flavonóides encontrada em 50 gramas de chocolate é equivalente à de seis maçãs, duas taças de vinho ou sete cebolas. Os flavonóides têm sido apontados como importantes armas no combate aos radicais livres.

17. DE PREFERÊNCIA AOS PESCADOS. Peixes de água profunda, como salmão e anchova, são ricos em ômega 3. Esse poderoso antioxidante, segundo o jornal da Associação Médica Americana, pode reduzir em até 81% o risco de morte súbita no homem.

18. FAÇA SEXO. A atividade sexual traz sensações de prazer e bem-estar, combate o stress, aumenta a autoestima e ainda queima calorias. Estudos mostram que as pessoas sexualmente ativas são mais saudáveis. Segundo a OMS, o sexo é um dos quatro pilares da qualidade de vida, ao lado do prazer no trabalho, da harmonia familiar e do lazer.

19. SEJA OTIMISTA. Após dez anos estudando como a personalidade de uma pessoa pode influir no aumento ou na diminuição da expectativa de vida, pesquisadores holandeses concluíram que ter uma atitude positiva pode diminuir em até 55% o risco de morte prematura.

20. NÃO PULE O CAFÉ-DA-MANHÃ . Pesquisa do Instituto de Gerontologia da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, averiguou que os centenários não costumam dispensar a primeira refeição do dia.

21. TENHA UM ANIMAL DE ESTIMAÇÃO. O conselho foi seguido por operadores da bolsa de valores de Nova York, avaliados em um estudo. Foi tão eficaz no combate ao stress que metade deles suspendeu o uso de medicamentos contra a hipertensão. Quem tem um bichinho em casa vai ao médico com menor frequência, afirmam pesquisadores da Universidade de Cambridge, na Inglaterra.

22. REDUZA O SAL. Essa medida é importante no tratamento e na prevenção da hipertensão arterial, um dos fatores de risco para doença cardiovascular. Evite mais de 6 gramas por dia, o equivalente a uma colher de chá.

23. INVISTA EM CULTURA. Depois de acompanhar 12.000 pessoas por nove anos, pesquisadores suecos observaram que, em média, as chances de uma pessoa alcançar a longevidade foram 36% maiores naquelas que cultivavam o hábito de realizar programas culturais, como visitar galerias de arte, assistir a peças de teatro e frequentar concertos musicais.

24. SINTA-SE EM CAPRI. Está provado que uma dieta mediterrânea, rica em vegetais, peixes e azeite de oliva, pode afastar doenças como hipertensão, diabetes e obesidade, capazes de alongar a vida em até dez anos. A pesquisa foi feita com 1.507 homens e 832 mulheres, entre 70 e 90 anos, em onze países europeus.

25. ABUSE DO MOLHO DE TOMATE. (Não industrializado) Pesquisas conduzidas pelo médico americano Michael Roizen, autor do livro Idade Verdadeira e fundador do Real Age Institute, um dos mais respeitados centros de estudo da saúde e do metabolismo humano, mostram que dez colheres de molho de tomate ingeridas semanalmente podem reduzir pela metade o risco de ocorrência de onze tipos de câncer. O tomate é rico em licopeno, um antioxidante encontrado nos vegetais vermelhos.

26. DURMA BEM. Estudos sugerem que a falta de sono crônica pode ter um impacto negativo nas funções metabólicas e endócrinas. Quando se dorme menos de cinco horas, há um desequilíbrio no metabolismo.

27. CONTE ATÉ CINCO. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, esse é o número mínimo de porções de frutas e vegetais que uma pessoa deve comer por dia. A OMS defende que uma alimentação balanceada e rica em vitaminas, fibras e minerais pode reduzir em até 40% o risco de câncer.

28. VÁ AO OFTALMOLOGISTA. Depois dos 50 anos, a chamada vista cansada se torna ainda mais comum. Com a idade, também aumentam os riscos de glaucoma e catarata. Além disso, alterações de fundo de olho podem indicar a presença de diabetes e hipertensão.

29. MODERAÇÃO COM A CARNE VERMELHA. Pesquisa sobre hábitos alimentares em dez países europeus concluiu que o consumo diário de carne vermelha aumenta o risco de câncer de intestino em até 35%. Mas não a evite. Proteínas são essenciais para quem faz atividade física regularmente, não só porque dão resistência mas também porque ajudam a tornear os músculos.

30. MOVA-SE. De acordo com a Associação Americana do Coração, o sedentarismo, por si só, aumenta o risco de doença coronariana em, pelo menos, uma vez e meia. Exercícios diários moderados ajudam a aumentar o tempo de vida em até seis anos.

FONTE:  http://www.residencecare.com.br/Blog/30-dicas-para-alcancar-a-longevidade/16

 


Só por ser uma atividade física, a dança faz bem para qualquer pessoa, de qualquer idade. Para os idosos, ela traz muito mais benefícios.

Dançar movimenta o corpo, trabalha as articulações e o equilíbrio. E que idoso não precisa de estabilidade para evitar as temíveis quedas, típicas dessa fase da vida? Praticar a dança também exercita a mente. Movimentos coordenados e repetitivos precisam ser executados com bastante concentração no passo. Ao dançar, o idoso ainda trabalha a respiração. Muitos movimentos exigem um certo fôlego e músicas agitadas acabam exercitando o próprio coração.  E mais, dançar é sinônimo de socialização. O contato com pessoas novas lhes dá mais energia e eles ficam confiantes, felizes.

Diante de tantos benefícios, a dança não poderia faltar como parte especial da nossa programação. Sempre às segundas, a música é a grande anfitriã da nossa Casa Dia. À tarde, o , músico Cláudio Fraga viaja pela história de diversas músicas e muito de nossos idosos aproveitam a oportunidade para dançar. No mesmo dia, a Dança Sênior é outra atividade que coloca os nossos idosos para se movimentar e nos finais de semana, os nossos idosos podem desfrutar de todos os benefícios que a dança proporciona nas aulas de dança de salão.

Traga também o seu idoso para dançar na Maioridade.

 

 


Alzheimer – Minha mãe tem

DIVULGUEM ESSA CAMPANHA "Infelizmente há coisas que pensamos que só acontecem na família dos outros. Mas não, acontece com todos. Para quem já teve um ente tão querido passando por este mal, aqui vai a minha homenagem! Aprisionado no próprio cérebro que está diminuindo rapidamente, é como um médico me descreveu a doença. Eu não desejaria o Alzheimer nem para meu pior inimigo, se eu tivesse um. Como o cérebro do paciente vai morrendo lentamente, você só consegue perceber algumas mudanças físicas e comportamentais, mas sem entender o que de fato acontece. Os familiares ficam surpresos e muitas vezes em estado de choque!!! Sua mãe amada eventualmente esquece quem você é. Os pacientes, eventualmente, acabam encamados, incapazes de se mover, de comer ou beber. Haverá pessoas que vão ignorar esta mensagem porque o Alzheimer não os afeta. Eles podem não saber o que é lutar ou ter lutado ou ter um ente querido que está lutando contra o Alzheimer. Para todos os homens e mulheres que conheço, peço um pequeno favor. E sei que apenas alguns de vocês vão fazê-lo. Se você conhece alguém que está lutando contra o Alzheimer, ou que já descansou, por favor, adicione isto ao seu status durante uma hora como um sinal de respeito e lembrança. Copiar e então compartilhe para apoiar as vítimas e famílias afetadas com o Alzheimer. A doença não tem cura!! Não há sobreviventes!!! Mantenha o dedo sobre a mensagem, a fim de copiar e, em seguida, cole em sua página. Por favor, não partilhar. Façam isso em nome de todos os cuidadores de alguém com esta doença"

Uma foto publicada por Maioridade Espaço Convivência (@espacomaioridade) em


Vamos beber água

O calor está de matar e por isso temos que ficar de olho para evitar a desidratação dos nossos idosos. É preciso manter o organismo sempre hidratado com água ou isotônicos e evitar a exposição a elevadas temperaturas. É comum que as pessoas com mais idade sintam menos sede, mas isso não significa que devam beber menos água. Muito pelo contrário, devido a isso elas precisam de uma atenção especial.  A falta de água no corpo pode provocar perda de consciência e até um quadro de oligúria, quando o rim diminui a produção de urina, que passa a ficar forte e concentrada, podendo, inclusive, acarretar em uma insuficiência renal.

É muito importante que  os idosos criem o hábito de ingerir água constantemente, principalmente os fisicamente ativos. A dica é ingerir até 2 litros de água por dia. Contando com a ajuda família, os idosos podem ingerir, pelo menos a cada meia hora, uma dose de 50ml de água todos os dias. Para os idosos que não gostam de beber água, outras bebidas, a exemplo dos sucos, água de coco e chás, são muito benéficas. Frutas e verduras com o percentual de liquido maior como o melão, melancia, e o chuchu também auxiliam bastante.  

Fica a dica: água todo dia!

 

 

 


Dica: Crie uma rotina

Devemos lembrar que, quando estamos lidando com idosos, estamos lidando com pessoas que já foram independentes, cuidaram das próprias vidas, em geral criaram filhos ou auxiliaram a criação de sobrinhos. Essas pessoas estão passando por um momento onde começam a perder a liberdade e a independência que conquistaram ao longo da vida. A rotina trás segurança, um domínio da própria vida, uma sensação de autonomia, “sei o que posso fazer e quando devo fazer”. Por isso, procure estabelecer uma rotina com o seu idoso, incluindo atividades que aconteçam sempre no mesmo dia e horário, para que ele possa se antecipar e se organizar mentalmente para tal atividade.


Quem acha que o Carnaval é contraindicado para os nossos “velhinhos” está redondamente enganado. As pessoas que se sentirem em condições, mesmo idosas, devem fazer o que têm vontade. Isso não significa que não devam ser tomados alguns cuidados:

1. Evite as aglomerações. Seu idoso quer sair no bloquinho? Saia, mas faça com que ele fique mais na periferia dos blocos.  O equilíbrio e a força muscular de uma pessoa idosa é menor e existe o risco de queda.

2. Evite ficar horas seguidas em pé. Pessoas idosas estão sujeitas a baixas de pressão arterial e isso pode levar a tonteira e até mesmo a queda. De tempos em tempos, seu idoso deve procurar se sentar para descansar, recuperar as energias. Para alguns, o uso de meias elásticas é aconselhável.

3. Hidratação constante. Isso vale para todas as idades. No caso dos idosos, esse cuidado deve ser mais rigoroso, pois eles estão muito mais sensíveis à hidratação. O fato de seu idoso não ingerir líquidos pode afetar os rins e o aparelho cardiovascular.

4. Bebidas alcoólicas devem ser evitadas. A pessoa idosa tem uma tolerância menor à álcool em relação à pessoa mais jovem.  Isso pode fazer com que o seu idoso tenha tonteiras, náuseas e vômito, piorando a desidratação.

5. A alimentação dos idosos deve ser leve, à base de carboidratos. A sugestão são biscoitos e frutas, pois o idoso é mais sensível à hipoglicemia – a queda acentuada de açúcar no sangue.

6. Evite o sol. Essa dica é essencial: médicos indicam o uso de filtros solares, principalmente no rosto e nos braços.

Com todos estes cuidados, caia na folia e leve seu idoso. Ele vai adorar!


Dica: cuidados com a medicação dos idosos

Devemos ficar atentos a questão da medicação em paciente idosos. Muitas vezes, o idoso apresenta mais de uma patologia e é medicado dentro de uma avaliação criteriosa pelo seu médico. Por isso, apresentamos algumas dicas que podem ser úteis para auxiliar no atendimento diário ao idoso:

- Informe todo e qualquer medicamento que o idoso tomar. A avaliação realizada deve contar todas as informações, até mesmo aquele “remedinho para dor de cabeça…”;

-  Solicite do médico a prescrição detalhada com horários e orientações para que a medicação seja administrada corretamente;

- Verifique se a medicação esta sendo administrada da forma prescrita pelo médico. Ex: Existem medicações que seus efeitos são modificados de acordo com a maneira que são ingeridos;

- No caso de ser o próprio idoso responsável por sua medicação, deve-se manter atenção redobrada, pois existe o risco de ocorrer eventuais “equívocos”, como por exemplo, tomar a mesma medicação por duas vezes ou esquecer de tomar. Nestes caso, é importante encontrar uma maneira para auxiliar o idoso semanalmente ou até mesmo diariamente.

IMPORTANTE: TODA E QUALQUER ALTERAÇÃO NA MEDICAÇÃO DEVE SER PRESCRITA SOMENTE PELO MÉDICO.


Conviver com animais é bom para os idosos

Para quem chegou à terceira idade, ter um animal de estimação pode ajudar no combate a solidão, ao isolamento, além de estimular a pratica de atividades físicas. Confira cinco benefícios da convivência com animais para quem já está na melhor idade:

1. Estimula a interação social: os animais precisam de passeios diariamente. Sendo assim, nessas caminhadas em parques ou pela vizinhança é possível interagir com outras pessoas, conhecer novos lugares e estimular a comunicação;

2. Aumenta a disposição: normalmente, o ideal é caminhar ao menos uma hora com o seu pet. Essa atividade promove sensação de bem estar e contribui para a saúde mental, já que os estímulos recebidos ao caminhar aumentam a coordenação motora e fazem com que o cérebro responda a estímulos visuais, sonoros, táteis e olfativos;

3. Melhora o humor: ao brincar com o cachorro ou gato, as taxas de serotonina – neurotransmissor que atua regulando o bom humor, sono, apetite e alivia a dor – são elevados. Diante disso, diminuem os níveis de ansiedade, proporcionando sensação de conforto, calmaria e melhora do ânimo no idoso;

4. Previne doenças: estudos realizados em vários países apontam que os tutores de cães e gatos, nessa etapa da vida, sofrem menos de depressão, problemas relacionados à pressão sanguínea, frequência cardíaca e capacidade motora, por causa da prática de exercícios em companhia do animal;

5. Aumento da expectativa de vida: a ciência já comprovou que quem convive com eles são mais felizes, saudáveis e vivem mais. Pesquisas realizadas em pacientes que receberam alta de uma unidade coronariana apontaram que quem possuía animais em suas residências viviam mais. Isto porque a convivência com os bichos aumentava a sensação de bem estar e, por consequência, elevava a expectativa de vida.

Com tantos benefícios, um animal de estimação pode se uma boa companhia ao seu idoso. Pense nisso.


Você sabe quando um idoso precisa de ajuda?

Você sabe quando é hora de ajudar um idoso que está tendo dificuldades nas atividades do dia-a-dia?  Quando ele esta ficando mais dependente? Com a ajuda do site Cuidar de Idosos, a Maioridade divulga um questionário, cujas as respostas podem te orientar a identificar tal situação:

Viver em segurança:

1. O idoso tem sofrido acidentes devido à fraqueza, tonturas ou incapacidade de andar com segurança?

2. Existem condições perigosas na casa do idoso, por exemplo, banheiro sem alças no box e no vaso, escada perigosa ou muitos desníveis de solo pela casa?

3. O idoso se recusa a usar cadeira de rodas, andador ou dispositivo auxiliar para se mover com segurança, caso precise?

4. O idoso fala sempre em morte, vontade de morrer ou que a vida já não vale mais a pena? Ou reclama de muita solidão?

Alimentação:

1. O idoso não consegue ou não gosta mais de cozinhar? Ou não tem mais ninguém em sua casa, que cozinhe para ele?

2. O idoso está com alguma doença mais séria, anemia, perda de peso ou algum outro quadro sugestivo de desnutrição?

3. Será que o idoso come somente alimentos  industrializados (biscoitos e frituras), evitando comida de sal ou frutas e legumes?

4. É comum o idoso reclamar que se esqueceu de comer? Ou você percebe que ele salta refeições?

Autocuidado e higiene pessoal:

1. Percebe que o idoso não toma banho diariamente e que apresenta sempre aquele cheiro característico de urina, na roupa?

2. O idoso costuma ter problemas de incontinência e reclama que não dá tempo para chegar ao banheiro?

3. O idoso quase nunca está  limpo, asseado, com boa higiene bucal e cabelos lavados e escovados? O idoso não troca diariamente suas roupas, não se veste com roupas adequadas?

4. Sua roupa de cama nunca está limpa, sem cheiros de urina e são trocadas semanalmente?

Uso de medicamentos e consultas com o médico:

1. Será que o idoso se esquece de tomar os medicamentos prescritos pelo seu médico?

2. É comum o idoso tomar uma dose inadequada de medicamentos, propositadamente ou acidentalmente?

3.  O idoso sabe manusear bem os remédios que toma? Sabe ler e interpretar uma receita médica? Consegue contar as gotas do medicamento ou a quantidade de mililitros de um xarope ou solução?

4. Percebe que o idoso é incapaz de pedir ajuda em caso de uma emergência?

5. Os problemas de audição do idoso afeta a capacidade em pedir por telefone ajuda de familiares, vizinhos e amigos?

6. O idoso esquece com freqüência de ir às consultas médicas agendadas?

Gerenciar a própria vida:

1. O idoso tem dificuldade de lidar com o seu dinheiro? Faz confusão com conta bancária? É incapaz de lidar com caixa eletrônico e extratos bancários?

2. É comum o idoso se perder na rua e sempre tem algum desconhecido ou vizinho ajudando a voltar para sua casa?

3. O idoso esquece freqüentemente do nome dos netos, dos sobrinhos ou dos filhos?

4. Percebe que o idoso vem apresentando comportamentos inadequados, socialmente inapropriados e que não reflete seu temperamento e caráter usual?

5. Os familiares, vizinhos ou amigos percebem que o idoso reclama muito de pessoas, conhecidas ou não, que estão perseguindo ou roubando seus pertences? Estão achando o idoso muito desconfiado ou agressivo?

Todas as perguntas foram formuladas para responder SIM OU NÃO. Quanto mais independente e autônomo for o idoso, mais respostas NÃO você responderá. Ao contrário, quanto mais dependente e frágil  for o idoso em questão, mais respostas SIM serão assinaladas.

Poucas respostas SIM podem significar algum problema de saúde ou social pontuais, talvez mais fáceis de solucionar. Mas que se for deixado de lado, poderá colocar a qualidade de vida do idoso em xeque, no futuro. Nesses casos, o acompanhamento e supervisão de algum familiar, de amigos e vizinhos ajudarão muito. Se a maioria das respostas for SIM, retrata claramente que o idoso ou a idosa em questão vem apresentando dificuldades sérias para gerenciar e cuidar de sua própria vida e que alguma doença ou condição de saúde ou familiar está bastante afetada. Nesse caso, procure uma ajuda especializada.

A Maioridade oferece o serviço de atendimento domiciliar e acompanhamento familiar que poderão te ajudar a lidar com o seu idoso. Entre em contato e agende uma visita em nossa Casa. Estamos a disposição para atendê-lo.

 

12345